DESTAQUE Nº 62 - JAN 2020
DESTAQUE Nº 61 - JUL 2019
DESTAQUE Nº 60 - JAN 2019
DESTAQUE Nº 59 - JUL 2018
DESTAQUE Nº 58 - JAN 2018
DESTAQUE Nº 57 - SET 2017
DESTAQUE nº 56 - MAI 2017
DESTAQUE nº 55 - JAN 2017
Sistemas de Canalização
Especificações e Gamas
Aplicações
Certificação
Tubos de aço
Acessórios de Tubagens
Roscas de Tubagens
Válvulas Ranhuradas
Válvulas Industriais
Processos de ligação
Fichas técnicas - Sistemas
Instalação - Orientações
Documentação APTA
Cálculo Hidráulico
Jornadas técnicas
Documentos de Inspecção
Notícias
FAQS
Quem Somos
Actividades
Estatísticas
Empresas Associadas
contactos
Links
PESQUISA
LOGIN

Recuperar senhaRegisto
Newsletter
NOTÍCIAS REVISTA APTITUDE - APTA
Segurança Contra Incêndios em Edifícios – Nova legislação relevante – 17 Setembro 2020

 

Publicação do Despacho n.º 8904/2020 de 17 de SetembroProcede à aprovação da Nota Técnica n.º 13 – Redes Secas e Húmidas da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC). Sendo revogado o Despacho n.º 12605/2013, publicado no Diário da República, 2.ª série, N.º 191, de 3 de outubro de 2013.

Chama-se a atenção para a forte sustentação deste documento em normalização europeia.

Adicionalmente também foram hoje publicadas as revisões das seguintes notas técnicas relacionadas:

  • Nota Técnica n.º 08 - Grau de prontidão dos meios de socorro;
  • Nota Técnica n.º 14 - Fontes de abastecimento de água para o Serviço de Incêndio (SI);
  • Nota Técnica n.º 15 - Centrais de bombagem para o Serviço de Incêndio.
Segurança Contra Incêndios em Edifícios – Nova legislação relevante – 1 Setembro 2020

 

Publicação da Portaria n.º 208/2020 de 1 de Setembro – Procede à primeira alteração à Portaria n.º 773/2009, de 21 de julho, que define o procedimento de registo, na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, das entidades que têm por objeto a atividade de comercialização, instalação ou manutenção de equipamentos e sistemas de segurança contra incêndio em edifícios - Entra em vigor a 1 de Outubro de 2020.

 

Segurança Contra Incêndios em Edifícios – Nova legislação relevante - 2 Junho 2020

 

Publicação da Portaria n.º 135/2020 de 02 de junho - Alteração ao Regulamento Técnico de Segurança Contra Incêndio em Edificios aprovado pela Portaria n.º 1532/2008, de 29 de dezembro - Entra em vigor a 01 de agosto de 2020

Finalmente verifica-se a necessária compatibilização entre as disposições regulamentares nacionais relativas às bases de dimensionamento das bocas de incêndio armadas dos tipos carretel e teatro, com as respectivas características obrigatórias de desempenho hidráulico, nos termos das NP EN 671-1 e NP EN 671-2, por via da obrigatoriedade da marcação CE. Passando a ser utilizado o conceito de coeficiente de descarga K para caracterizar as bocas de incêndio armadas utilizáveis.

Recordamos qua a APTA foi a primeira instituição nacional a alertar para esta questão, em Setembro de 2015, através de análises técnicas realizadas nos n.º 51 e n.º 52 da nossa revista APTitude.

Esta compatibilização foi implementada através da revisão dos Artigos 167.º e 171.º.

 

Lançamento das versões 2020 do portefólio de folhas de cálculo da APTA – Janeiro 2020

 

É com muito gosto que informamos o lançamento das versões 2020 das seguintes folhas de cálculo em “Excel” desenvolvidas pela APTA:

1. Dimensionamento hidráulico de redes convencionais de segurança contra incêndios dos tipos:

- Rede Armada com bocas dos tipos carretel ou teatro;

- Coluna húmida;

- Coluna seca.

2. Dimensionamento hidráulico de redes de extinção automática de incêndios através de sprinklers.

3. Dimensionamento hidráulico de instalações de gás para edifícios (média e baixa pressão).

4. Dimensionamento hidráulico de redes de águas prediais.

Com as seguintes principais novidades:

Específicas para as duas folhas RI da APTA:

Implementação dos seguintes critérios em conformidade com a norma EN 12845 e a Nota Técnica 15 da ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil):

A dimensão da tubagem de aspiração fica, por defeito, sujeita aos seguintes requisitos:

  1. Quando em aspiração positiva: deve ter uma dimensão nominal mínima de DN 65 e ser igual ou superior à dimensão máxima da tubagem de compressão. A respectiva velocidade máxima não deve exceder 1,8 m/s para o caudal de sobrecarga.
  2. Quando em aspiração negativa: deve ter uma dimensão nominal mínima DN 80 e ser igual ou superior à dimensão máxima da tubagem de compressão. A respectiva velocidade máxima não deve exceder 1,5 m/s para o caudal de sobrecarga.

O volume do reservatório é calculado com base num caudal mínimo correspondente ao caudal de sobrecarga, definido como 140% da necessidade de caudal em condições críticas de pressão. De forma relacionada, a bomba deve ser capaz de fornecer 140% dessa necessidade de caudal a uma pressão não inferior a 70% da correspondente necessidade de pressão.

Implementado em todas as folhas de cálculo APTA:

Foi melhorado o conforto na utilização das folhas de cálculo, nomeadamente através da implementação de realces automáticos das células em uso e características directamente relacionadas, tornando-as deste modo ainda mais “amigáveis”.

 

Como é habitual, a mesma já poderá ser obtida de forma gratuita, mediante solicitação via e-mail (info@apta.pt), explicitando o nome completo, função, designação da empresa e morada completa.

Também estão disponíveis para descarga no presente sítio apta.pt na zona de DOCUMENTAÇÃO APTA, mas unicamente para Utilizadores Registados:

Ficamos na expectativa da análise crítica que certamente e conforme é habitual, os nossos prezados leitores farão.

 

Está iminente o lançamento das versões 2020 das folhas de cálculo APTA – Dezembro 2019

 

No início do próximo ano serão lançadas as versões 2020 das folhas de cálculo APTA, com as seguintes principais novidades:

Específicas para as duas folhas RI da APTA:

Implementação dos seguintes critérios em conformidade com a norma EN 12845 e a Nota Técnica 15 da ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil).

A dimensão da tubagem de aspiração fica, por defeito, sujeita aos seguintes requisitos:

  1. Quando em aspiração positiva: deve ter uma dimensão nominal mínima de DN 65 e ser igual ou superior à dimensão máxima da tubagem de compressão. A respectiva velocidade máxima não deve exceder 1,8 m/s para o caudal de sobrecarga.
  2. Quando em aspiração negativa: deve ter uma dimensão nominal mínima DN 80 e ser igual ou superior à dimensão máxima da tubagem de compressão. A respectiva velocidade máxima não deve exceder 1,5 m/s para o caudal de sobrecarga.

O volume do reservatório é calculado com base num caudal mínimo correspondente ao caudal de sobrecarga, definido como 140% da necessidade de caudal em condições críticas de pressão. De forma relacionada, a bomba deve ser capaz de fornecer 140% dessa necessidade de caudal a uma pressão não inferior a 70% da correspondente necessidade de pressão.

Implementado em todos as folhas de cálculo APTA:

Foi melhorado o conforto na utilização das folhas de cálculo, nomeadamente através da implementação de realces automáticos das células em uso e características directamente relacionadas, tornando-as deste modo ainda mais “amigáveis”.

 

Publicação da APTitude n.º 61 – Julho 2019

Informamos da publicação do n.º 61 da nossa revista de informação APTitude; estando disponível para consulta ou transferência em formato ".pdf" na opção Documentação.

Como tema em destaque efectuamos uma apresentação e análise da Versão Portuguesa da Norma Europeia EN 1092-1, intitulada: Flanges de aço conformes a norma NP EN 1092-1 - Flanges e suas junções - Flanges circulares para tubagens, válvulas, acessórios e componentes, designação PN - Parte 1: Flanges de aço.

Esta norma contém os requisitos aplicáveis a flanges circulares com designações PN 2,5 a PN 400 e dimensões nominais DN 10 a DN 4000.

Detalha os tipos de flanges e suas frentes de junção, respectivas dimensões e tolerâncias, tipo de rosca (quando aplicável), dimensões dos parafusos, exigências de marcação, as qualidades de aço utilizáveis, as relações pressão/temperatura aplicáveis e massas aproximadas dos diversos tipos de flanges.

É um documento técnico que regula por cima os requisitos de qualidade aplicáveis às flanges de aço para canalizações, substituindo e anulando uma série de normas nacionais puras até ao momento intensamente utilizadas, em particular um vasto conjunto de normas DIN. Sendo de facto, uma norma indispensável a uma correcta e objectiva especificação das flanges de aço para canalizações.

Neste artigo técnico também são apresentados alguns exemplos de aplicação das flanges de aço NP EN 1092-1, sendo o mesmo finalizado com uma recolha de normas europeias aplicáveis a tubos de aço para canalizações, para utilização com as flanges em causa.

 

MANUAL DO INSTALADOR
© APTA 2020
Política de Privacidade | Termos e Condições | Adicionar aos Favoritos
Máquina Digital